terça-feira, 5 de agosto de 2014

Carta de Welby ao Papa Francisco sobre a ordenação de mulheres ao episcopado

Carta de Welby ao Papa Francisco sobre a ordenação de mulheres ao episcopado


 
O arcebispo de Canterbury escreveu ao Papa Francisco um pedido para que a ordenação de mulheres ao episcopado não desfaça os planos para uma eventual reunificação das igrejas Católica e Anglicana.

A reportagem é de John Bingham, publicada pelo The Telegraph, 27-07-2014.

 A tradução é deIsaque Gomes Correa.
LEIA MAIS:

Justin Welby reconheceu que a votação, no Sínodo Geral feita no início deste mês, poderia ser uma “dificuldade a mais” no caminho tortuoso em direção a uma possível unidade entre as duas igrejas que, formalmente, se separaram no século XVI.
Mas numa carta endereçada ao papa e a outros líderes mundiais de igrejas, incluindo os principais patriarcas ortodoxos, Welby pede orações para a Igreja Anglicana, dizendo: “Precisamos uns dos outros”.
A carta afirma que há mais coisas que une as igrejas do que as divide e que não se deveria deixar que as diferenças relativas a questões como a das mulheres ordenadas ao episcopado as afastassem da união diante de questões globais importantes.
Esta intervenção vem após avisos de conservadores de que a admissão de mulheres ao episcopado iria desfazer as esperanças de uma eventual unidade entre as igrejas inglesa e romana.
As duas instituições começaram um diálogo informal há mais de 50 anos com o objetivo declarado de estabelecer uma unidade visível plena. No ano passado, o arcebispo católico de Birmingham, Dom Bernard Longley, sinalizou que a proibição de os anglicanos de receberem a Sagrada Comunhão poderia ser reconsiderada.
Embora a Igreja Anglicana tenha se separado, de modo permanente, da autoridade papal sob o reinado de Elizabete I, ela ainda se considera parte da Igreja “Católica” num sentido mais amplo.
Os bispos constituem uma parte crucial desta ligação, na medida em que ambas as igrejas partilham um episcopado histórico comum que, acredita-se, pode ser relacionado com os apóstolos originais de 2000 atrás.
Esta relação se faz de modo mais explícito nas missas para ordenação de novos bispos anglicanos – no próximo ano, incluindo bispas –, que contêm uma declaração segundo a qual a Igreja Anglicana é parte da “Igreja Única, Sagrada, Católica e Apostólica”.
Mas a doutrina católica romana insiste que somente homens podem ser padres e bispos.
Ainda que o Papa Francisco tenha sinalizado boa vontade em reformar muitos aspectos da Igreja Católica, ele deixou claro, no ano passado, que quanto à questão da ordenação de mulheres “as portas estão fechadas”.
Os conservadores anglicanos que se opuseram à ordenação de mulheres ao episcopado argumentaram que a mudança iria marcar uma ruptura permanente com a linha apostólica masculina de sucessão de 2000 mil anos, aspecto que as duas igrejas partilham.
Justin Welby (arcebispo anglicano de Canterbury) e o cardeal Vincent Nichols (líder da Igreja Católica romana na Inglaterra e no País de Gales) concordaram que a questão constitui um obstáculo no caminho para uma eventual unidade.
Na carta enviada ao papa e a outras igrejas, Welby escreve: “Estamos cientes de que nossos demais parceiros ecumênicos podem considerar isto uma dificuldade a mais no caminho em direção à plena comunhão. Há, no entanto, muitas coisas que nos unem, e eu rezo para que os laços de amizade continuem a ser fortalecidos e que a nossa compreensão das tradições de cada um cresça”.
Em seguida, acrescenta: “Contudo, está claro para mim que, embora o diálogo teológico vá enfrentar novos desafios, há tantas coisas atormentando o mundo de hoje que o nosso testemunho comum do Evangelho se faz mais importante do que nunca.
“Há conflitos em muitas regiões do mundo, há uma pobreza aguda, desemprego e um afluxo de oprimidos tirados de seus países e que buscam refúgio noutros lugares. Precisamos uns dos outros, na medida em que, como igrejas empoderadas pelo Espírito Santo, nos elevamos à altura do desafio e proclamamos a boa nova de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, esforçando-nos para uma comunhão mais estreita e uma unidade maior”.
O Palácio de Lambeth, sede da Igreja Anglicana, disse que a carta foi enviada aos chefes e líderes de outras igrejas e grupos de igrejas, incluindo o Papa.
 
John Bingham
​Fonte: http://www.ihu.unisinos.br/noticias/533711-carta-de-welby-ao-papa-francisco-sobre-a-ordenacao-de-mulheres-ao-episcopado

Nenhum comentário:

Postar um comentário