quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Brasil: Ok aos Viri Probati?

n/d


“Se a iniciativa dom Hummes se concretizar, a Amazônia poderia ser o primeiro lugar no mundo onde atuariam, no rito latino, padres com família”.
“O card. Hummes, além de estar dialogando sobre o assunto com a Congregação para o Clero, liderada por uma pessoa de confiança do Papa, o card. Stella, naturalmente já falou disso com os Bispos da Amazônia”.

 



Roma, 28 out (SIR/Blog de Marco Tosatti – San Pietro e Dintorni) –

Do Brasil me chega uma notícia que poderia ser uma real revolução na Igreja.

Isto é que se está buscando encontrar uma solução, em diálogo com a Congregação para o Clero, de ordenar “ad experimentum” “viri probati” para enfrentar a falta de sacerdotes nas Dioceses da Amazônia, onde as distâncias são enormes, o número de sacerdotes cada vez mais escasso e as possibilidades reduzidas para algumas comunidades cristãs terem os sacramentos extremamente.


O incentivador da iniciativa seria o card. Claudio Hummes, ex-prefeito da Congregação para ao Clero, arcebispo emérito de São Paulo, e responsável pela coordenação e atividade pastoral, em nome da Conferência Episcopal brasileira, da Região Amazônia. Claudio Hummes esteve ao lado de Papa Bergoglio durante o último conclave e teria sido uma dos principais cabos eleitorais e organizadores da eleição de Papa Francisco.

Hummes, que já foi prefeito do Clero, tinha a ideia aprofundar a ideia da ordenação dos “viri probati”, mas não conseguiu levar adiante o projeto.



Por “viri probati” se entende homens de grande fé, já de certa idade, casados ou viúvos, que nas antigas comunidades católicas eram ordenados sacerdotes para suprir às necessidades de comunidades cristãs isoladas, geralmente localizadas em áreas pouco acessíveis e distantes do centro das Dioceses.

O card. Hummes, além de estar dialogando sobre o assunto com a Congregação para o Clero, liderada por uma pessoa de confiança do Papa, o card. Stella, naturalmente já falou disso com os Bispos da Amazônia.

Um deles, dom Erwin Kräutler, bispo de origem austríaca, missionário no Brasil, prelado do Xingu, no estado do Pará, em abril passado afirmou ter falado com Para Francisco sobre esta hipótese para que sejam ordenados os chamados “viri probati”, para poder garantir a assistência espiritual numa imensa área de 700 mil fiéis, 800 comunidades e só 27 padres.

n/d

“Falei ao Papa que sou Bispo da maior Diocese por extensão do Brasil com 700 mil fiéis e que as nossas comunidades podem celebrar a eucaristia duas ou três por ano”, afirmou dom Kräutler em entrevista ao Salzburger Nachrichten.

“Diante das necessidades das nossas comunidades se falou também dos viri probati, homens casados de solida fé que poderiam ser ordenados padres”.

Se a iniciativa dom Hummes se concretizar, a Amazônia poderia ser o primeiro lugar no mundo onde atuariam, no rito latino, padres com família.



Marco Tosatti


Nenhum comentário:

Postar um comentário