sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

LEMBRANÇAS REUNIÃO ORDINÁRIA MFPC CEARÁ – JANEIRO - 2015

No dia 31 de janeiro de 2015 realizou-se a 1ª Reunião Ordinária Mensal do Movimento das Famílias dos Padres Casados (MFPC), Ceará, na casa do casal Aroldo e Margarida.
    Após a abertura, sob a coordenação do Coordenador Estadual, Geraldo Frenken, foram apresentado e debatidos os seguintes itens e tema:
1. Boas vindas com oração pelo casal Aroldo e Margarida;

Segundo governo Dilma: A consolidação de uma derrota. Entrevista especial com Pablo Ortellado


“É preocupante ter uma demanda forte e uma insatisfação, e não ter um ator político capaz de organizar essa insatisfação”, pontua o pesquisador.

Foto: Grabois.org
“A volta a políticas liberais ortodoxas não é uma necessidade de equilibrar as contas, mas é uma derrota política, fruto da incapacidade de implementar um modelo econômico alternativo”, pondera Pablo Ortellado em entrevista concedida à IHU On-Line por telefone. Para ele, “a reversão da política econômica do primeiro mandato”, que tem gerado inúmeras críticas à segunda gestão do governo Dilma, demonstra que o “modelo intervencionista”, proposto pela presidente, “não foi adotado integralmente porque foi derrotado no meio do caminho”.
Na interpretação do professor da Universidade de São Paulo - USP, a segunda gestão do governo Dilma “está sendo refém do sistema financeiro e não tem força para enfrentá-lo e mudá-lo, como havia ensaiado. Por isso ela perdeu a batalha e não conseguiu ir adiante na política de reduzir os juros, na política de aumentar o subsídio das tarifas públicas, que foi o modelo iniciado por ela”.
Para ele, a nomeação de Joaquim Levy para o Ministério da Fazenda é um sinal dessa derrota. Contudo, outras nomeações ministeriais polêmicas, como a de Kátia Abreu para o Ministério da Agricultura e de Gilberto Kassab para o Ministério das Cidades, têm outro significado. “A nomeação de Kátia Abreu não destoa do pensamento da presidente; ela é uma desenvolvimentista, acha que o agronegócio é uma peça importante, e Kátia Abreu é uma grande representante desse setor.

Tsipras e o papa: a estranha aliança contra as finanças

Apenas alguns anos atrás, era cenário impensável: a oposição ao rigorismo financeiro europeu que unia um papa argentino, o primeiro do Sul do mundo, e o líder pós-moderno de uma inédita esquerda radical grega.


A reportagem é de Francesco Peloso, publicada no sítio Linkiesta, 25-02-2015. A tradução é de Moisés Sbardelotto.


O fato é que o L'Osservatore Romano do dia 26 de fevereiro, comentando o prolongamento de quatro meses do apoio econômico internacional a Atenas, à espera de um novo plano de reformas, intitulava sobriamente: "Tsipras passa no exame europeu".

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Violência e corrupção: a globalização da indiferença no Brasil

                        

Indiferença diante da violência preocupa CNBB - REUTERS

26/02/2015 10:06

Cidade do Vaticano (RV) - “Quando estamos bem e comodamente instalados, esquecemo-nos certamente  dos outros, não nos  interessam os seus problemas, nem as tribulações  e injustiças que sofrem; e, assim, o nosso coração  cai na indiferença: encontrando-me relativamente  bem e confortável, esqueço-me dos que não estão  bem! Hoje, esta atitude egoísta de indiferença atingiu uma dimensão mundial tal que podemos falar de uma globalização da indiferença. Trata-se de um mal-estar que temos obrigação, como cristãos, de enfrentar.”

Carta aberta ao povo brasileiro: liberdade de expressão em risco



Miguel do Rosário
Adital
Dirijo-me ao nobre e valoroso povo brasileiro, na qualidade de um cidadão atingido por uma absurda violência política, e que não afeta somente a mim, mas o coletivo e a própria liberdade de expressão de uma nação continental.
Trata-se de um processo movido contra mim por Ali Kamel, empregado da família mais rica do país.
Mais rica e que controla um dos maiores impérios de mídia do mundo.

O abraço dos dois Papas, contra a rebelião dos ‘falcões’ cardinalícios

Há feeling entre Francisco e Bento. Apesar de serem tão diferentes nas formas e no estilo, estão unidos pela mesma fé e pela experiência compartilhada da carga quase insuportável do papado. Tão pesada que obrigou o Papa Ratzinger a renunciar. Tão pesada que ao próprio Papa Bergoglio está buscando Deus e ajuda para reformar a cúria e renovar a Igreja.
A reportagem é de José Manuel Vidal e publicada no jornal espanhol El Mundo, 14-02-2015. A tradução é de André Langer.
Supõe-se que Deus esteja disposto a dar uma mão ao seu “vigário” na terra. E oPapa emérito, com sua simples presença na Basílica de São Pedro, para participar da criação dos novos cardeais, encena seu apoio total ao Papa em exercício.

O QUE ESTÁ EM JOGO AGORA

Manifesto assinado por intelectuais, jornalistas e políticos

23/fev/2015
A chamada Operação Lava Jato, a partir da apuração de malfeitos na Petrobras, desencadeou um processo político que coloca em risco conquistas da nossa soberania e a própria democracia.

Com efeito, há uma campanha para esvaziar a Petrobras, a única das grandes empresas de petróleo a ter reservas e produção continuamente aumentadas.
LEIA MAIS:

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Eu vim para servir (Mc. 10.45)


padre-Brendan200A  Campanha da Fraternidade 2015 tem como lema “Eu vim para servir” (Mc 10, 45). Às vezes o tema da Campanha da Fraternidade é enfatizado enquanto o lema fica menos em evidência. Quero fazer agora uma brevíssima reflexão sobre o lema da Campanha de Fraternidade deste ano.  O cartaz da Campanha retrata o papa Francisco, imitando o gesto de Jesus com seus apóstolos, lavando os pés de um fiel na Quinta-feira Santa de 2014. O mesmo papa disse recentemente que: “o cristão deve servir com humildade, sem esperar nada em troca e sem fazer disso uma estrutura do poder”.  Jesus “vem para servir e não ser servido”.  Imitar o exemplo de Jesus nesse sentido não é algo simples. É necessário ser pessoa possuidora de dignidade e inteligência suficiente para servir à pessoa menos favorecida com humildade, agindo igual para igual e com tal discrição que “sua mão esquerda não saiba o que sua mão direita faz”. O lava-pés é uma expressão de grande amor. E é com este amor que todo ser humano é amado por Deus em Jesus Cristo. Com sua paixão e morte na cruz Jesus provou que Ele veio para servir. Nós cristãos, imitando Jesus, precisamos aprender servir uns aos outros.
LEIA MAIS:

ENTREVISTA ESPECIAL

''Se for preciso, o Papa Francisco vai abrir aos padres casados, sem hesitar.'' Entrevista com Alberto Melloni

"Um cardeal diria que o celibato dos padres é uma tradição venerável, que não pode ser tratada como uma questão banal, de consumo carnal ou erótico. Eu diria que essa é a sua vocação, o seu chamado, a sua vida. Exatamente como pessoa casada, eu diria que o seu matrimônio é o que ele quis e o que mais desejou. Que é o que ele ama. Que é a plenitude de sua vida."
A reportagem é de Virginia Della Sala, publicada no jornal Il Fatto Quotidiano, 20-02-2015. A tradução é de Moisés Sbardelotto.
LEIA MAIS:

Serviço à dignidade

No período em que se preparam para a celebração da festa da Páscoa, os católicos são convidados este ano a refletirem sobre sua vocação e sua missão na sociedade, o que significa dizer que a fé cristã diz respeito a todas as dimensões da vida e não apenas ao âmbito privado. Precisam em primeiro lugar renovar a consciência de que sua fé é vivida no seio de sociedades que são configuradas de modo diferenciado através dos tempos. Consequentemente os desafios para a vida humana são diferentes o que implica que os crentes façam um discernimento das situações para continuar servindo à sociedade à luz dos critérios do Evangelho no respeito radical a um mundo social que se entende autônomo frente a qualquer interferência de tutela religiosa.
leia mais:

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

SOLIDÃO E ÉTICA DO CUIDADO

Resultado de imagem para Solidão e ética do cuidado

  ANSELMO BORGES
“A cidade de Leónia refaz-se a si própria cada dia que passa: todas as manhãs a população acorda no meio de lençóis frescos, lava-se com sabonetes acabados de tirar da embalagem, veste roupas novinhas em folha, extrai do mais aperfeiçoado frigorífico frascos e latas ainda intactos, ouvindo as últimas canções no último modelo do aparelho de rádio.

Italo Calvino escreveu, em As Cidades Invisíveis
leia mais:

sábado, 21 de fevereiro de 2015

Na raiz do Evangelho. Um papa radical. Artigo de Walter Kasper

"O Papa Francisco não quer revolucionar a fé e a moral; ele quer interpretar fé e moral a partir do evangelho. De acordo com o caráter querigmático do evangelho, ele faz isso não em uma linguagem doutrinal abstrata, mas em uma linguagem simples, mas comunicativa e dialógica não simplificante, que interpela as pessoas e as envolve."

Antecipamos aqui alguns trechos do livro de Walter Kasper, presidente emérito do Pontifício Conselho para a Promoção da Unidade dos Cristãos, intitulado Papa Francesco. La rivoluzione della tenerezza e dell’amore. Radici teologiche e prospettive pastorali [Papa Francisco. A revolução da ternura e do amor. Raízes teológicas e perspectivas pastorais] (Bréscia: Queriniana, 2015, 134 páginas), lançado no dia 19 de fevereiro.
O texto foi publicado no jornal L'Osservatore Romano, 18-02-2015. A tradução é de Moisés Sbardelotto.
Eis o texto.
Papa Francisco vai ao fundamento das coisas. Ele parte radicalmente, isto é, começa pela raiz (radix), pelo Evangelho. A leitura espiritual e o estudo daSagrada Escritura (Dei Verbum, 21-26), recomendados pelo Concílio Vaticano II, são, para ele, de fundamental importância, como mostram as suas homilias e os seus discursos (Evangelii gaudium,174s). Por evangelho, porém, Francisconão entende um livro ou os quatro livros que nós indicamos como os quatro Evangelhos.
LEIA MAIS:

Igreja ainda não aprendeu a viver numa ‘política de comunhão’, afirma Marcelo Barros




A Teologia da Libertação vivencia, hoje, um momento de refortalecimento e difusão de suas ideias na figura do Papa Francisco. Ainda que não se considere adepto do pensamento dessa corrente do Cristianismo, o Sumo Pontífice tem ecoado em todo o mundo fundamentos da mensagem libertadora.

Para comentar esse contexto, o monge beneditino e escritor Marcelo Barros conversou com exclusividade com a Adital, durante o 11º Encontro Nacional da Pastoral da Juventude (ENPJ), realizado em janeiro desate ano, em Manaus, Estado do Amazonas, no Brasil.



LEIA MAIS:

”O problema dos padres casados está na minha agenda.” A última abertura do Papa Francisco


A reportagem é do jornal La Repubblica, 19-02-2015. A tradução é de Moisés Sbardelotto.
leia mais:

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

O bem comum foi enviado ao limbo


Leonardo Boff

Adital

As atuais discussões políticas no Brasil em meio a uma ameaçadora crise hídrica e energética se perdem nos interesses particulares de cada partido. Há uma tentativa articulada pelos grupos dominantes, por detrás dos quais se escondem grandes corporações nacionais e multinacionais, a mídia corporativa e, seguramente, a atuação dos serviços de segurança do Império norte-americano, de desestabilizar o novo governo de Dilma Rousseff.
LEIA MAIS:

Campanha da Fraternidade 2015 tem engajamento social do Papa como inspiração

DivulgaçãoMarcela Belchior

Adital


Consonante com a postura presente do Papa Francisco em temas que permeiam sociedades de todo o globo, foi lançada nesta quinta-feira, 19 de fevereiro, a Campanha da Fraternidade 2015, com o tema Igreja e Sociedade. A proposta se contextualiza no engajamento do Sumo Pontífice nas discussões sobre temas habitualmente evitados pelo Vaticano e pode ser compreendida como uma maneira de demonstrar que a Igreja Católica brasileira está disposta a, institucionalmente, fazer parte do debate.
LEIA MAIS:

PAPA FRANCISCO:

o verdadeiro jejum vem do coração.

Papa advertiu para dois tipos de jejum: formal e real - OSS_ROM
20/02/2015 10:45
Cidade do Vaticano (RV) – Os cristãos, especialmente na Quaresma, são chamados a viver coerentemente o amor a Deus e o amor ao próximo. Este é um dos trechos da homilia que Francisco pronuncio una Missa celebrada na manhã desta sexta-feira na Casa Santa Marta.
O Papa se inspirou na primeira Leitura extraída do Livro de Isaías, em que o povo se lamenta a Deus por não ouvir seus jejuns. Para o Pontífice, é preciso distinguir entre “o formal e o real”. Ou seja, de que adianta jejuar, não comer carne, e depois brigar ou explorar os funcionários? Eis o motivo pelo qual Jesus condenou os fariseus, porque faziam “tantas observações exteriores, mas sem a verdade do coração”.
LEIA MAIS:

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

Campanha da Fraternidade: Igreja não pode ser indiferente aos mais pobres

Adital
reproducao
"De fato, a Igreja como uma 'comunidade formada pelos que creem e dirigem seu olhar para Jesus, artífice da salvação e princípio da unidade', não pode ser indiferente às necessidades daqueles que estão ao seu redor, já que os gozos e as esperanças, as tristezas e as angústias das pessoas, hoje em dia, especialmente as dos pobres e de todos os que sofrem, são também os gozos e as esperanças, as tristezas e as angústias dos discípulos de Cristo". Com estas palavras o Papa Francisco enviou, nesta quarta-feira, 18 de fevereiro, uma mensagem especial aos fiéis brasileiros por ocasião da abertura da Campanha da Fraternidade 2015, promovida todos os anos pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), cujo tema é "Fraternidade: Igreja e sociedade”.
LEIA MAIS:

CNBB:

Campanha da Fraternidade quer aprofundar diálogo entre Igreja e sociedade

A ideia é aprofundar, a partir do Evangelho, o diálogo e a colaboração entre a Igreja e a sociedade como serviço ao povo brasileiro
O secretário-geral da CNBB, dom Leonardo Steiner, abre a Campanha da Fraternidade 2015 nesta Quarta-Feira de Cinzas, na Conferência Nacional dos Bispos do Brasil
A Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) lançou nesta quarta-feira, 18, a Campanha da Fraternidade 2015. O tema escolhido este ano é Fraternidade: Igreja e Sociedade e o lema "Eu vim para servir". A ideia é aprofundar, a partir do Evangelho, o diálogo e a colaboração entre a Igreja e a sociedade como serviço ao povo brasileiro.
LEIA MAIS:

PAPA AO BRASIL:

não ser indiferente às necessidades de quem sofre

Saudação do Papa Francisco - ANSA
18/02/2015 11:00

Brasília (RV) - A Campanha da Fraternidade deste ano se realiza dentro do contexto das celebrações dos 50 anos do Concílio Vaticano II e tem como tema: “Igreja e Sociedade” e o lema: “Eu vim para servir” (Mc 10,45).
LEIA MAIS:

A LEI DO CELIBATO OBRIGATÓRIO

É contraditório afirmar o celibato como um carisma e, depois, impô-lo como lei. Por isso, muitas vozes autorizadas na Igreja pedem uma reflexão séria sobre o tema.


Há muito que o cardeal Carlo Martini faz apelos nesse sentido. Agora, junta-se-lhe o cardeal Ch. Schönborn, de Viena. O bispo auxiliar de Hamburgo, J.-J. Jaschke, sem pôr em causa o celibato livre, afirmou que “a Igreja Católica se enriqueceria com a experiência de padres casados”.

LEIA MAIS:

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

Frente à globalização, Teologia da Libertação está mais necessária do que nunca, diz teólogo

"Para a Teologia da Libertação, não interessa tanto a existência de Deus — se Deus existe ou não. Interessa saber onde está Deus, quer dizer, na luta da libertação dos povos. (...) Agora, esse tipo de teologia é mais necessária do que nunca, frente à globalização do capital”. Com essa assertiva, um dos mais expoentes teólogos da Libertação, o belga François Houtart, situa de que maneira essa orientação libertadora do cristianismo fortalece diálogo com as demandas das populações oprimidas em todo o globo e como religião e doutrina social podem caminhar articuladas. 
LEIA MAIS:

O Texto-Base da CF 2015

O lançamento oficial da Campanha da Fraternidade 2015 será no próximo dia 18 de fevereiro, às 10.30, na sede da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), em Brasília. Desde dezembro, próximo passado, o texto-base, que será utilizado para auxiliar nas atividades da Campanha da Fraternidade 2015, está disponível no site das Edições CNBB e nas livrarias católicas. Como padre que  acompanhou as Campanhas da Fraternidade desde a primeira campanha em 1964, posso afirmar que o texto-base da CF deste ano é um dos melhores destes últimos cinquenta anos. Na apresentação do texto-base, o bispo auxiliar de Brasília (DF) e secretário geral da CNBB, Dom Leonardo Ulrich Steiner, explica que a campanha deste ano  convida a refletir e meditar a relação entre Igreja e sociedade. Ele enfatizou que este texto-base será uma oportunidade de retomar os ensinamentos do Concílio Ecumênico Vaticano ll que terminou em 1965.
LEIA MAIS:

“MENSAGEM DO PAPA FRANCISCO PARA A QUARESMA DE 2015″

Todos os meses este espaço é dedicado à Palavra do Pastor. Estamos para viver mais uma vez, pela graça de Deus, o tempo oportuno da Quaresma: tempo de conversão, de salvação.
Penso que nada é mais justo, neste mês deixar minha palavra de lado e dar espaço à palavra do Santo Padre Francisco. Todos nós abriremos nosso coração para elas, que nos chamam a fortalecer os corações no Amor de Deus.
+ José Antonio Aparecido Tosi Marques
Arcebispo Metropolitano
 LEIA MAIS:

terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

PAPA FRANCISCO:

aumentam os pobres, precisa-se maior impulso de solidariedade

Papa Francisco com os pobres - OSS_ROM
16/02/2015 17:21
O crescente número de pobres nos interpela e exige um maior impulso de solidariedade – disse o Papa Francisco durante a audiência no Vaticano à associação "Pro Petri Sede". O Papa também assinalou que, por ocasião da Quaresma, que está prestes a começar, os cristãos são chamados a dedicar-se aos outros, especialmente os que passam por privações.
LEIA MAIS:

Importante prelado africano apoia comunhão para divorciados e recasados

Um importante participante africano no iminente Sínodo dos Bispos sobre a família de outubro, disse na terça-feira que está aberto a permitir que os católicos divorciados e recasados civilmente recebam a Comunhão, desmentindo impressões de uma postura africana uniformemente hostil em relação à mudança sobre essas questões.
 
A reportagem é de John L. Allen Jr., publicada no sítio Crux, 11-02-2015. A tradução é de Claudia Sbardelotto.


LEIA MAIS:

DOM HELDER, O MARTIR QUE NÃO MATARAM

 A autora Clelia Luro de Podestá inclui-se em uma lista de pessoas que não são bem vistas pela ala conservadora da Igreja Católica. A jornalista uniu-se em matrimônio com um bispo argentino, o progressista Jerónimo Podestá.  (NR. Clelia Luro, amiga pessoal do Jorge Bergoglio – papa Francisco- que deu a Santa Unção a Jerônimo Podestà, faleceu em 2014, em Bienos Aires)



 LEIA MAIS:

O bem comum foi enviado ao limbo

sábado, 14 de fevereiro de 2015


Meu irmão homossexual

Como revelam seus diários espirituais, o cardeal Jean Daniélou tomava para si os pecados do seu amadíssimo irmão Alain, para salvar sua alma. A lição de vida de um dos maiores teólogos do século XX.
 
Fonte: http://bit.ly/17pmTFq  
A reportagem é de Sandro Magister e publicada no sítio italiano Chiesa, 12-02-2015. A tradução é de André Langer.
Enquanto no Vaticano os cardeais reunidos em consistório se dedicam a reformar a cúria, a pouca distância dali, na outra margem do rio Tiber, um cenáculo de qualificados estudiosos se apaixona por um tema certamente muito mais crítico sobre o presente e o futuro da Igreja e da humanidade: o mistério da história.
Para ser mais exato, o mistério da história visto por Jean Daniélou e Joseph Ratzinger.
Patrocinadas pela Fundação Joseph Ratzinger-Bento XVI e acolhidas na Pontifícia Universidade de Santa Cruz, as jornadas de estudo foram abertas nesta quinta-feira dia 12, à tarde, e terminam no final da tarde desta sexta-feira.
É a segunda vez que a universidade romana da Opus Dei procura jogar luz sobre esse grande teólogo, patrólogo e liturgista que foi Daniélou, jesuíta e cardeal, injustamente mergulhado nas sombras após sua morte, em 1974, ocorrida na casa de uma prostituta parisiense que ele ajudava em segredo.
LEIA MAIS:

Cardeais ouvem plano para as reformas vaticanas do Papa Francisco

Cardeais ouvem plano para as reformas vaticanas do Papa Francisco

Como parte de um amplo programa de reformas do Papa Francisco, Federico Lombardi, porta-voz do Vaticano, anunciou nesta quinta-feira que os assessores que compõem o Conselho dos Cardeais levantaram a ideia de se criar dois superdepartamentos no Vaticano – um para a caridade, justiça e paz, e outro para os leigos e a família.
A reportagem é de Inés San Martín, publicada por Crux, 12-02-2015. A tradução é de Isaque Gomes Correa.
LEIA MAIS:

Uma década sem Dorothy Stang e com muito sangue na terra

Por Felipe Milanez 

A missionária Dorothy Stang foi assassinada em 12 de fevereiro de 2005, no interior de Anapu, cidade na beira da Transamazônica, no Pará. Desde então, parte da quadrilha que organizou o crime passou pela cadeia. Em um levantamento feito pela EBC (sim, é preciso fazer um levantamento para descobrir se alguém está preso), foi constatado que ninguém, efetivamente, está na cadeia pelo crime — apenas o pistoleiro que reincidiu em mais homicídios.


leia mais:

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

Anunciar a alegria do Evangelho em 2015


 

 

O Papa Francisco acaba de realizar neste mês de janeiro a sua 7ª Viagem Apostólica. O Santo Padre esteve mais uma vez na Ásia visitando o Sri Lanka e as Filipinas depois de ter estado na Coreia do Sul em agosto do ano passado. É a “Igreja em saída” de que tem vindo a falar o Santo Padre no seu pontificado e que propôs na sua Exortação Apostólica “Evangelii Gaudium”. 2015, será mais um ano para o Papa Francisco desenvolver o anúncio da Alegria do Evangelho. Sobre isto falaremos nesta edição do “Sal da Terra, Luz do Mundo”.
LEIA MAIS:

PAPA FRANCISCO

Consistório. Papa Francisco: reformar a Cúria para reforçar testemunho cristão

                                             
Papa na abertura do Consistório - OSS_ROM                

A reforma da Cúria "não é um fim em si mesmo", mas um meio para "dar um forte testemunho cristão" – disse o Papa Francisco na abertura do Consistório, na Nova Sala do Sínodo, sobre a situação dos trabalhos do grupo C9 para a elaboração de uma nova Constituição Apostólica. O Papa agradeceu a Comissão dos nove cardeais pelo trabalho que estão a realizar e em especial o coordenador, o Cardeal Oscar Rodriguez Maradiaga e o secretário do organismo, Dom  Marcello Semeraro. As palavras de homenagem ao Santo Padre foram pronunciadas pelo cardeal Decano Angelo Sodano.
LEIA MAIS:

Mudanças climáticas: caos ou esperança?



 
 
Selvino Heck -
Adital
 
A água está batendo nos queixos, digo na reunião do Grupo de Trabalho Adaptação à Mudança do Clima – GT Adaptação, janeiro de 2015. Não está batendo nos queixos, responde alguém. "Chega só nos calcanhares.” É verdade, respondo. "Os dois temos razão. Está batendo nos queixos ou no pescoço em muitos lugares. Em outros, mal chega nos ‘calcanha’.”
A conversa aconteceu porque está em formulação o Plano Nacional de Adaptação à Mudança do Clima (PNA), coordenado pela Secretaria de Mudança do Clima e Qualidade Ambiente do Ministério do Meio Ambiente (MMA), com participação de diferentes órgãos do governo federal e organizações da sociedade civil.
LEIA MAIS:

Fundamentalismo do Ocidente e do Extremo Ocidente




Leonardo Boff


  Adital
Predominante é o fundamentalismo islâmico. Mas há também uma onda de fundamentalismo especialmente na França e na Alemanha onde comparecem fortemente a xenofobia, a islamofobia, o antissemitismo. Os vários atentados da Al-Qaeda e de outros grupos jihadistas alimentam esse sentimento que desumaniza a todos: as vítimas e os causadores das vítimas. Podemos compreender os contextos globais que subjazem à violência terrorista (o terror das guerras do Ocidente levadas ao Oriente Médio), mas jamais, por nenhum motivo, aprová-la por seu caráter criminoso.
LEIA MAIS:

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

Expo, o Papa: Deus perdoa sempre, o homem às vezes, a terra jamais

Primeiro, “renunciar à autonomia absoluta dos mercados e da especulação financeira e agir principalmente sobre causas estruturais da iniquidade”. Segundo, adotar políticas econômicas corajosas pela “dignidade da pessoa humana e o bem comum”. Terceiro, custodiar a terra que “pede respeito e não violência ou, pior ainda, arrogância de patrões”, para consigná-la “melhorada” aos filhos. São as recomendações confiadas pelo Papa Francisco num vídeo-mensagem projetado no evento “As idéias de Expo 2015” que, organizado pelo ministério italiano das políticas agrícolas alimentares e florestais, em colaboração com Expo Milano 2015, se desenvolve hoje sobre o tema “Nutrir o Planeta, Energia para a Vida”, no Hangar Bicocca de Milão com a participação de 500 peritos nacionais e internacionais. Jorge Maria Bergoglio, que aliás está trabalhando numa encíclica ecológica, convidou os peritos a ”superar as tentações dos sofismas, dos nominalismos, daqueles que procuram fazer qualquer coisa, mas sem a concretude da vida” e reafirmou um dito a ele muito caro: Deus perdoa sempre, o homem perdoa às vezes, a terra não perdoa jamais.

LEIA MAIS:

O todo é o meio ambiente

Marcus Eduardo de Oliveira

Adital
Escreve Andrei Cechin, em "A Natureza como Limite da Economia”, que "se a economia capta recursos de qualidade de uma fonte natural e devolve resíduos sem qualidade para a natureza, então não é possível tratar a economia como um ciclo isolado”.

Pelo pressuposto, a economia é apenas uma parte de um todo; o todo é o meio ambiente. Logo, não há como escapar da seguinte ponderação: à medida que acontece o crescimento econômico exponencial se dilapidam as bases da natureza, resultando em sensível diminuição do meio ambiente, agravando substancialmente os fundamentos naturais da vida.

Reforça-se assim a prerrogativa de que mais crescimento significa menos meio ambiente, tendo em vista que a biosfera é finita, não cresce (e jamais irá crescer), além de ser fechada (com exceção do constante afluxo de energia solar) funcionando regiamente sob as leis da termodinâmica.

Sintomaticamente, mais crescimento econômico responde pela exaustão dos recursos naturais e energéticos e pela depredação dos serviços ecossistêmicos.
LEIA MAIS:

Vaticano abre portas para padres casados e cria dilema

O ex-padre anglicano Robin Farrow (de óculos) é casado e tem quatro filhas, mas será ordenado na Igreja Católica em abril O ex-padre anglicano Robin Farrow (de óculos) é casado e tem quatro filhas, mas será ordenado na Igreja Católica em abril.  Com quatro filhas ainda crianças e um bebê para chegar em alguns meses, a mulher de Robin Farrow já avisou: ele precisará levar a caçula para o trabalho nos dias mais complicados.
Fernando Duarte
Da BBC Brasil em Londres  –  09/02/201507h35

É uma situação que dificilmente chamaria a atenção em qualquer lugar do mundo, não fosse o fato de que Farrow está prestes a receber sua ordenação como padre católico.
LEIA MAIS:

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

PAPA FRANCISCO

Apelo do Papa pelas vítimas da nova tragédia em Lampedusa

Desembarque em Lampedusa - ANSA
11/02/2015 11:48
No final da audiência geral desta quarta-feira, dia 11 de fevereiro o Papa Francisco lançou um apelo pelas vítimas dos últimos dias ao largo da Ilha de Lampedusa devido à imigração ilegal:
LEIA MAIS:

“O PT não lidera mais o governo". Entrevista com Marcos Nobre

Professor da Universidade de Campinas (Unicamp), o cientista social e filósofo Marcos Nobre é o celebrado autor da tese do “peemedebismo”, como ele batizou a ideia da existência de um bloco de forças políticas que, ao se associar ao governo, lhe dá estabilidade e o blinda contra ameaças como o impeachment que o ex-presidente Fernando Collor sofreu em 1992. Para Nobre, a eleição do deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) para a presidência da Câmara dá novas feições ao “peemedebismo”. E, ao mesmo tempo, representa um fracasso da estratégia do governo Dilma de enfraquecer o PMDB, estimulando a criação de novos partidos médios, como o PSD e o Pros, controlados respectivamente pelos ministros Gilberto Kassab (Cidades) e Cid Gomes (Educação).

LEIA MAIS:

TRAGÉDIA

O médico de Lampedusa: “Dessa forma o socorro é inadequado. Antes, os teríamos salvo"

Todos homens jovens e fortes – suspira amargamente Pietro Bartolo – todos mortos”. Ele os têm à frente, enquanto toca o celular: “Não consigo começar o trabalho”. Cansado, improvisando. Uma outra tragédia: “era previsível, e acontecerá de novo. Não é este o sistema certo para salvar vidas humanas. Provavelmente com a Mare Nostrum não teríamos todos estes mortos: não pe possível que salvemos os migrantes a 100-120 milhas de Lampedusa para depois velá-los até a Sicília em condições meteorológicas proibitivas. Aquele dispositivo consentia às naves da Marina de alcançar estes desesperados, trazê-los a bordo, coloca-los sob cuidados e recuperá-los. Agora isso é mais difícil”. É o doutor da ilha, o diretor do Poli ambulatório que salvou centenas, e fez partir dezenas. E depois também contou os cadáveres, de todas as procedências e de todas as idades. “Caixões, caixões, aqui são necessários muitos caixões e nada mais!”, bradava desesperado à rádio quando os 366 corpos haviam sido recolhidos no mar no dia 03 de outubro de 2013. E ele estava no molhe para recuperá-los: “Os barcos de pesca chegam e descarregam mortos e mais mortos!”.
 LEIA MAIS:

AUDIÊNCIA:

os filhos são um dom de Deus e energia da sociedade

Papa Francisco - ANSA
11/02/2015 11:37
Quarta-feira, 11 de fevereiro, Memória litúrgica de Nossa Senhora de Lourdes, apesar do frio a Audiência Geral voltou à Praça de S. Pedro e o Papa Francisco em mais uma das suas catequeses sobre a família falou sobre os filhos. 
LEIA MAIS:

terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

REFORMA DA CÚRIA:

oitava reunião do Papa com o Conselho dos Cardeais

Papa com alguns Cardeais - ANSA
10/02/2015 10:51
Teve início esta segunda-feira (09/02) a oitava Reunião do Conselho dos Cardeais – conhecida como “C-9”. O Papa Francisco participará nos três dias de encontros, no Vaticano, que se encerram na quarta-feira.
LEIA MAIS:

CRENTES E ATEUS CRÍTICOS

No presente estado do conhecimento e do saber científico, impõe-se, contra o dogmatismo, uma atitude crítica, tanto por parte dos crentes como dos ateus. Refiro-me aos crentes e aos ateus que sabem o que isso quer dizer. Esta foi a mensagem fundamental deixada pelo jesuíta Javier Monserrat, neurólogo e filósofo, das universidades Autónoma e Comillas, de Madrid, nos debates que organizei no Porto, em Coimbra e em Lisboa, por ocasião da publicação do livro que coordenei: Deus ainda Tem Futuro? Deixo aí o essencial das suas exposições.
LEIA MAIS:

A AUTORIDADE DE JESUS


Adital


Os relatos evangélicos são enfáticos ao acentuar a autoridade de Jesus no confronto com os mestres contemporâneos, particularmente as autoridades responsáveis pela religião da Palestina na época (saduceus, escribas e fariseus). "Ele ensinava como quem tem autoridade, e não como os doutores da Lei” – insistem os textos (Mc 1, 22). Desnecessário este conceito de autoridade nada tem a ver com autoritarismo, menos ainda com poder ou domínio. Como então explicar semelhante superioridade que o povo identificava no novo Mestre? Entre os fatores possíveis, coloquemos em cena três aspectos de fundamental relevância.
LEIA MAIS:

O Estado não é uma máquina, é uma entidade política


Adital

Há uma tendência no governo a considerar o Estado como uma máquina para implementar políticas. Se uma peça não funciona, ela é trocada, mas não se altera nada o caráter que uma certa visão tecnocrática tem do Estado como coisa, como administração, mas não como entidade política, de direção geral da sociedade.
O aspecto mais determinante do resultado das últimas eleições foi o de que o governo perdeu – e feio – na disputa da opinião pública, mas venceu – bonito – nas políticas sociais, e isso lhe deu a vitória. Mas quanto mais o resultado se deu perto dos setores mais influenciados pelo monopólio privado da mídia – e sua atuação como partido político da oposição – melhor foi o resultado da oposição e pior o do governo.
LEIA MAIS:

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

ANGELUS:

Tráfico de pessoas – vergonhosa praga da sociedade

Papa Francisco - REUTERS
08/02/2015 12:48

Domingo, 8 de fevereiro, grande multidão na Praça de S. Pedro para a recitação do Angelus. O Papa Francisco recordou, antes de mais o Evangelho de S. Marcos neste V Domingo do Tempo Comum sublinhando duas palavras-chave que descrevem a atividade principal de Jesus na sua vida pública: pregar e curar:
“Com a pregação, Ele anuncia o Reino de Deus e com as curas demonstra que esse está próximo, está no meio de nós.”
LEIA MAIS: