segunda-feira, 2 de março de 2015

ANGELUS

Angelus: Jesus é o caminho da felicidade

Papa Francisco à janela do Palácio Apostólico para a Oração Mariana do Angelus - REUTERS
01/03/2015 13:12

Domingo, 1 de março, na Praça de S. Pedro grande multidão escutou a reflexão do Papa Francisco neste que é o II Domingo da Quaresma. 


A liturgia oferece-nos a passagem da Transfiguração que se coloca no cume do ministério público de Jesus:
“Ele está em caminho para Jerusalém onde se cumprirão as profecias do “Servo de Deus” e se consumará o seu sacrifício redentor. As multidões, perante a perspetiva de um Messias que contrasta com as suas expetativas terrenas, abandonaram-no.”
Jesus mostra, então, a Pedro, Tiago e João uma antecipação da sua glória, para os confirmar na fé e encorajá-los a segui-Lo no caminho da Cruz.
“Sobre um alto monte, emerso na oração, transfigura-se perante eles: o seu rosto e toda a sua pessoa irradiam uma luz fulgurante. Os três discípulos estão assustados, enquanto uma nuvem os envolve e ressoa do alto – como no Batismo no Jordão – a voz do Pai: “Este é o meu Filho muito amado: escutai-O” (Mc 9,7).
É o cumprimento da revelação. Ao lado de Jesus aparecem Moisés e Elias que representam a Lei e os Profetas. O significado para os discípulos e para nós é este: Escutar Jesus pois ele é o Salvador – afirmou o Santo Padre – e assim assumirmos a lógica do mistério pascal. E o Papa Francisco exortou os fiéis a não esqueceram que Jesus é o caminho da felicidade:
“Não esqueçais: o caminho de Jesus sempre nos leva à felicidade! Haverá pelo meio uma cruz, as provações, mas no final sempre nos leva à felicidade. Jesus não nos engana! Prometeu-nos a felicidade e vai dá-la se nós formos nos seus caminhos.”
Após a oração do Angelus o Papa Francisco condenou a “brutalidade intolerável” dos que atacam a comunidade cristã na Síria e no Iraque, apelando à solidariedade da comunidade internacional para com as vítimas:
“Infelizmente, não deixam de chegar notícias dramáticas da Síria e do Iraque, relativas a violência, sequestros de pessoas e abusos que atingem cristãos e outros grupos.”
O Santo Padre assegurou a sua proximidade oferecendo as suas orações nos Exercícios Espirituais desta semana juntamente com a Cúria Romana e pediu aos membros da Curia para que ajudem a aliviar os sofrimentos na medida das suas possibilidades.
O Papa Francisco recordou também a Venezuela que está a viver novamente momentos de aguda tensão, O Santo Padre assegurou a sua oração pelas vítimas em particular por um rapaz assassinado há dias em São Cristobal. O Papa exortou todos à recusa da violência e ao respeito da dignidade de cada pessoa e da sacralidade da vida humana. O Santo Padre confiou a Venezuela à materna intercessão de Nossa Senhora de Coromoto.
O Papa a todos desejou um bom domingo e um bom almoço. (RS)

FONTE: RADIO VATICANO

Nenhum comentário:

Postar um comentário