quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

Querido Brasil, nossa casa comum

Conferência dos Religiosos do Brasil, com 61 anos de existência e que lidera 40 mil religiosas e religiosos – Irmãs, Irmãos e Sacerdotes – em todo o território nacional, expressa preocupação pela situação econômica e política do País, conjuntura que põe em risco os avanços sociais e os processos democráticos conquistados e que agrava o sofrimento da população brasileira, em particular a camada mais pobre, as crianças e os jovens. 

[RETROSPECTIVA 2015] Encíclica ecológica e a grande contribuição do Papa para a sociedade mundial


Adital
A grande contribuição da Igreja Católica para todo o mundo durante o ano de 2015 foi a publicação da encíclica ecológica Laudato Si', documento histórico antes mesmo de ser lançado, referência mundial na busca por superar o mito do progresso materiale focar na dignidade humana, sejam nas sociedades católicas ou de quaisquer outras religiões ou espiritualidades. O escritor brasileiro Frei Betto, adepto da Teologia da Libertação, chegou a afirmar que, com o texto, aIgreja Católica abraça a teoria evolucionista. "A encíclica é a Carta Magna da ecologia”, afirmou o filósofo e teólogo Leonardo Boff.

Coordenador do MP na Lava-Jato diz que sociedade precisa combater corrupção

Índice
Procurador Deltan Dallagnol aponta a participação da sociedade como essencial para vencer os atos ilícitos e indica que a operação planeja avançar sobre recursos e empresa. 
Coordenador da força-tarefa do Ministério Público Federal (MPF) que atua na Operação Lava-Jato, responsável por investigar o megaesquema de corrupção na Petrobras, o procurador Deltan Dallagnol é enfático ao apontar a necessidade do engajamento da população no combate à corrupção.

quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

Igreja \ Igreja no Brasil

Ebook explica o Ano da Misericórdia

Cúpula da Basílica ganhou show de luzes na abertura do Jubileu - ANSA

Brasília (RV) - A Comissão Jovem da CNBB, por ocasião do Ano Santo da Misericórdia convocado pelo Papa Francisco e inaugurado em 8 de dezembro deste ano, elaborou um ebook que servirá como descrição didática e prática sobre como viver este período.

Retrospectiva 2015: Um ano com o Papa Francisco

Cidade do Vaticano (RV) – O terceiro ano de Pontificado levou Francisco à Ásia, América e África. O Papa também visitou a periferia da Europa, rezou diante do Santo Sudário em Turim e visitou o Santuário de Nossa Senhora de Pompeia.

terça-feira, 29 de dezembro de 2015

VATICANO:

 as principais notícias de 2015

Papa durante uma Audiência na Praça São Pedro - AFP
29/12/2015 10:26
Cidade do Vaticano (RV) – O Jubileu da Misericórdia, as viagens, a Encílica Laudato Si, o Sínodo, as reformas da Cúria: o ano de 2015 foi um ano particularmente denso de eventos no Vaticano.

O crente e o não-crente para quem “Jesus sabe bem”

Carlos Vaz Marques  (Texto) e  Nuno Ferreira Santos  (Fotografia) 
O escritor Frederico Lourenço, fascinado pelo texto bíblico, tem dificuldade em aceitá-lo como texto sagrado. Levamo-lo ao encontro de um religioso conhecido pela sua heterodoxia. Há um aspecto em que Frei Domingues e Frederico Lourenço estão de acordo: Jesus “sabe sempre bem”.

Francisco, o reformador

segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

Ano santo da misericórdia


Maria Elilda dos Santos
Adital
Sede vós Santo e Misericordioso como o vosso Pai que está no Céu.
Jesus Cristo é o rosto da misericórdia do Pai.

Recessos, retrocessos e vácuo político



Alberto Dines
Adital
Dilma ganhou, Cunha perdeu, Renan assume protagonismo, Temer recua, Fachin derrotado por Barroso – a preliminar do julgamento do impeachment & afins no plenário do STF foi narrada pela mídia nesta sexta de forma singularíssima, como se tratasse do primeiro tempo de uma partida de futebol iniciada nas vésperas do Natal com desfecho marcado para depois do Carnaval pelo árbitro Teori Zavascki.

Catálogo dos "antibióticos curiais". Discurso de Natal do Papa Francisco à Cúria Romana


Neste Advento do Ano da Misericórdia, o Papa Francisco propôs um "subsídio prático" à Cúria Romana no formato de um "catálogo das virtudes necessárias" para os cardeais e colaboradores da Santa Sé. Trata-se de uma ''análise acróstica" - ao estilo de Matteo Ricci - da palavra "m-i-s-e-r-i-c-ó-r-d-i-a".
O evento ocorreu na Sala Clementina, no Vaticano, no dia 21-12-2015. A transcrição foi publicada pela Sala de Imprensa do Vaticano.
Eis o discurso.
Queridos irmãos e irmãs!
Peço-vos desculpa por não falar de pé, mas desde há alguns dias estou sob influência da gripe e não me sinto com muitas forças. Com vossa licença, falo-vos sentado.

sábado, 26 de dezembro de 2015

Natal: sempre que nasce uma criança é sinal de que Deus ainda acredita no ser humano

"Abracemo-nos mutuamente, como quem abraça a Criança divina que se esconde em nós e que nunca nos abandonou. E que o Natal seja ainda uma festa discretamente feliz", são os desejos de Leonardo Boff, teólogo, filósofo e escritor, em artigo que publicamos a seguir. 
Eis o artigo.
Estamos na época de Natal mas a aura não é natalina, é antes de sexta-feira santa. Tantas são as crises, os atentados terroristas, as guerras que, juntas, as potencia belicosas e militaristas (USA, França, Inglaterra, Russa e Alemanha) conduzem contra o Estado Islâmico, destruindo praticamente a Síria com uma espantosa mortandade de civis e de crianças como a própria imprensa tem mostrado, a atmosfera contaminada por rancores e espírito de vindita na política brasileira, sem falar dos níveis astronômicos de corrupção: tudo isso apaga as luzes natalinas e amortece os pinheirinhos que deveriam criar uma atmosfera de alegria e de inocência infantil que ainda persiste em cada pessoa humana.

O Sermão da Montanha: um convite à gratuidade e à confiança. Entrevista especial com Elian Cuvillier

“A gratuidade do Deus de Jesus Cristo é a única capaz de nos fazer perceber a existência e, portanto, vivê-la no dia a dia, de forma renovada”, diz o exegeta francês.
Imagem: bibliamormon.org
A leitura do Sermão da Montanha - SM (Mt, 5) provoca alguns questionamentos, como, por exemplo, para quem o sermão é dirigido? Aos discípulos ou às multidões? As suas exigências são verdadeiramente viáveis para crentes e não crentes? Essas perguntas levam a outra: Como devemos nos colocar diante de tal discurso proferido por Jesus? Para o exegeta francês Elian Cuvillier, essas questões estão “inter-relacionadas” e podem ser respondidas no conjunto doSermão da Montanha, que “se dirige justamente a todos. Visa fazer surgir um sujeito: um ‘vós’ constituído por uma multiplicidade de ‘eu’ que o Pai conhece ‘em segredo’, cada uma e cada um singularmente. Esses sujeitos não têm ilusões sobre eles mesmos e suas capacidades (sabem que são potencialmente maus como o resto dos homens), mas sabem também que essa palavra ouvida e recebida os coloca em tensão com o mundo. Que essa palavra excede tudo o que creem saber de sua relação com os outros, que ela anula todos os particularismos, as divisões habituais, as distinções discriminantes”.
Autor de Le Sermon sur la Montagne. Vivre la confiance et la gratuité [O Sermão da Montanha. Viver a confiança e a gratuidade], Cuvillier afirma que para ele, o Sermão da Montanha “ressoa como um convite a viver neste mundo sob a luz da Boa Nova de Jesus Cristo que é confiança e gratuidade: confiança em um Deus que vem ao meu encontro e que, em troca desta confiança, não me pede mais nada. Pois, o que o SM nos ensina é que o Evangelho não é uma moral (tu deves fazer isto ou aquilo para obter isto ou aquilo — lógica da troca e da retribuição), mas a proclamação de uma Palavra que vem abrir para uma nova compreensão de Deus, de nós mesmos e dos outros”.

quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

O QUE VEM EM PRIMEIRO LUGAR

No século passado, marcado profundamente pela “Guerra Fria” (1945-1991), encabeçada pelos Estados Unidos da América do Norte e União Soviética, a preocupação reinante dos líderes mundiais era a tensão entre Leste e Oeste. A mídia mundial também se dedicava exaustivamente a esta questão. Havia, porém, alguém que procurava abrir os olhos do mundo para uma grave tribulação, pouco reportada na mídia. Era Dom Helder Camara, uma voz que ecoava pelo mundo afora. Ele afirmava: “O problema fundamental não é o confronto entre Leste e Oeste, mas entre Norte e Sul, entre países ricos e países pobres. Comunismo e anticomunismo é uma questão secundária.” Sem querer banalizar, de forma alguma, aquele conflito político-econômico e militar, o Dom da Paz procurava alertar a todos por um problema que se alastrava por toda a história da humanidade, agravando-se a cada ano pelo mundo afora: a maldita divisão do planeta terra entre ricos e pobres, Norte e Sul. Era esta a problemática sobre a qual toda a humanidade, todos os governos e demais instâncias haviam de debruçar-se. O conflito tenso entre Leste e Oeste somente aumentava a situação de pobreza e miséria. “Atenção, meus Irmãos-Homens! A violência n.º 1 é a miséria. Miséria que engloba sub-habitação, sub-trabalho, sub-diversão, sub-saúde, sub-vida, opressão ... dominação!” (Dom Helder em sua “Sinfonia dos dois mundos”).

A ALEGRE ANSIEDADE DA ESPERA, DA EXPECTATIVA

Todos nós passamos pela experiência da preparação de uma festa. Aqueles dias se tornam, muitas vezes, mais interessantes do que a própria festa, porque as preparativas são realizadas em conjunto: todo mundo mexe, pensa, corre, cria coisas. Essa movimentação suscita aquela ansiedade que cresce na medida em que o dia da festa se aproxima.
            A mesma sensação de alegria, de expectativa toma conta das pessoas, quando se fala em festa de Natal. Trata-se de um tempo que é chamado de “Advento”, palavra que vem do verbo latino “advenir”, o que diz respeito a algo que surge posteriormente, que virá logo em seguida. Relembremos alguns costumes antigos da tradição cristã, que expressam bem esta expectativa e alegre ansiedade.

FELIZ NATAL!

O Natal costuma ser sempre uma ruidosa festa; entretanto se faz necessário o silêncio, para que se consiga ouvir a voz do Amor.
Natal é você, quando se dispõe, todos os dias, a renascer e deixar que Deus penetre em sua alma.
O pinheiro de Natal é você, quando com sua força, resiste aos ventos e dificuldades da vida.
Você é a decoração de Natal, quando suas virtudes são cores que enfeitam sua vida.
Você é o sino de Natal, quando chama, congrega, reúne.
A luz de Natal é você quando com uma vida de bondade, paciência, alegria e generosidade consegue ser luz a iluminar o caminho dos outros.
Você é o anjo do Natal quando consegue entoar e cantar sua mensagem de paz, justiça e de amor.
A estrela-guia do Natal é você, quando consegue levar alguém, ao encontro do Senhor.
Você será os Reis Magos quando conseguir dar, de presente, o melhor de si, indistintamente a todos.
A música de Natal é você, quando consegue também sua harmonia interior.
O presente de Natal é você, quando consegue comportar-se como verdadeiro amigo e irmão de qualquer ser humano.
O cartão de Natal é você, quando a bondade está escrita no gesto de amor, de suas mãos.
Você será os “votos de Feliz Natal” quando perdoar, restabelecendo de novo, a paz, mesmo a custo de seu próprio sacrifício.
A ceia de Natal é você, quando sacia de pão e esperança, qualquer carente ao seu lado.
Você é a noite de Natal quando consciente, humilde, longe de ruídos e de grandes celebrações, em silêncio recebe o Salvador do Mundo.
Um muito Feliz Natal a todos que procuram assemelhar-se com esse Natal. 

Papa Francisco

Quem sofre fica acordado, defendendo o coração

"Nessa noite de Natal, então, lutemos pela inclusão, por um tempo de graça em que se globalize a fraternidade e seja definitivamente abolida a indiferença! Façamo-lo com compaixão, sem descontos nem poupanças. Se não medirmos nossa misericórdia, seremos surpreendidos pelos frutos do Jubileu!". 
Essa é a mensagem de Natal de Dário Bossi, padre comboniano, membro da rede Justiça nos Trilhos e da Rede Brasileira de Justiça Ambiental. 

quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

Papa Francisco à Cúria: as 24 virtudes necessárias para voltar ao essencial na Igreja



Das "doenças curiais" às "virtudes necessárias". Francisco se encontra com os chefes de dicastério para os votos de Natal e faz uma referência indireta ao Vatileaks 2: a reforma seguirá em frente com determinação. Os escândalos não podem esconder "a eficiência dos serviços que a Cúria Romana, com dedicação, presta ao papa e a toda a Igreja". É preciso "voltar ao essencial": no catálogo das características exigidas daqueles que prestam serviço do outro lado do Rio Tibre, estão a exemplaridade, a fidelidade, a honestidade, a maturidade, a humildade, a confiabilidade e a sobriedade.
A reportagem é de Andrea Tornielli, publicada no sítio Vatican Insider, com informações de Stefania Falasca, do jornal Avvenire, 21-12-2015. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

Usina de Belo monte: “O licenciamento ambiental no Brasil precisa ser levado a sério”. Entrevista especial com André Aroeira Pacheco

“Em um processo de licenciamento técnico, e não político, a obra não teria recebido as licenças de instalação e operação e os estudos seriam refeitos”, ressalta o biólogo.
Foto: gestaoambientalufsm.blogspot.com.br
A necessidade de transparência, respeito ao meio ambiente e participação das populações locais nos processos decisórios de concepção de obras de grandes proporções e impactos torna-se cada vez mais imperativa diante dos cenários que envolvem diversas megaestruturas como a Usina Hidrelétrica de Belo Monte. Os reflexos que empreendimentos como esse provocam são inúmeros, porém o problema que os originam é sempre o mesmo: a sobreposição de interesses econômicos e políticos ao respeito à vida, seja a do cidadão ou a da natureza.
Para o biólogo André Aroeira Pacheco, no caso deBelo Monte a chave de todas as violações que se veem atualmente teve origem já nos primeiros movimentos de concepção do empreendimento. “O grande problema, em minha opinião, ocorreu lá atrás, na emissão da licença parcial, que abriu caminho para a instalação dos canteiros de obra e o início da construção da usina. Este fato praticamente consolidou a ideia de que a Belo Monte ia sair mesmo com a precariedade ultrajante dos estudos apresentados pela Norte Energia e a insistente insubordinação aos ritos do licenciamento. Este era o momento mais delicado do processo e não por acaso demandou forte interferência política”, aponta em entrevista por e-mail à IHU On-Line.

Bispos da Igreja Episcopal Anglicana contra o impeachment da presidenta Dilma Rousseff



DOCUMENTO
Adital
"O fruto da justiça será paz; o resultado da justiça será tranquilidade e confiança para sempre”. Isaías 32:17

Nós, Bispos da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil, vemos com preocupação a crise política que tem se instaurado no país envolvendo a busca do impeachment da Presidente Dilma Rousseff, baseada nas chamadas "pedaladas fiscais” praticadas, da mesma forma, por todos os governos anteriores.

terça-feira, 22 de dezembro de 2015

CELEBRAÇÃO NATAL MFPC CEARÁ 2015

DATA: 20 de Dezembro de 2015

CLIQUE PARA VER MAIS FOTOS DOS DIVERSOS EVENTOS DA CELEBRAÇÃO:

Receita de natal



Frei Betto
Adital
Há certa doçura na festa de Natal: o reencontro familiar; a alegre expectativa das crianças; a mesa farta (para quem pode); a celebração do nascimento de Jesus (para quem crê); o recesso no trabalho. E algo arde no coração como pimenta braba: o presente compulsório; o consumismo papainoélico; a crise brasileira; a violência global. Tempo de doçuras entremeado de amarguras.

Cardeal doa 150 mil euros por ‘danos’ a hospital pediátrico

Denúncia dizia que Bertone usou dinheiro para reformas

A presidente da Fundação Menino Jesus, Mariella Enoc, anunciou neste sábado (19) que o arcebispo emérito de Gênova, cardeal Tarcisio Bertone, “doou” uma quantia de 150 mil euros por “danos’ causados ao hospital infantil.
Agência ANSA – 19/12/2015.
 “O cardeal Bertone não recebeu dinheiro diretamente, mas reconheceu que tudo o que ocorreu constituiu um dano para nosso hospital e decidiu vir ao nosso encontro com uma doação de 150 mil euros, que serão utilizados para apoiar os nossos projetos de buscas por doenças raras e pouco estudadas”, informou Enoc.

“A Igreja é a única que está defendendo as crianças do ataque da ideologia de gênero”

Launch of "Relativism and gender ideology"
No lançamento do livro “Relativismo e ideologia de gênero”, o arcebispo eleito de Barcelona destacou que é preciso coragem e humildade para pregar a verdade em todos os momentos. “Em última análise, nesta sociedade tão turbulenta, a Igreja é a única que está defendendo os pequenos da ideologia de gênero ou do aborto… e atacam a Igreja porque é a única instituição que falta para cair. Por isso não temos que dobrar-nos, e essa é a mensagem de Jesus”.

segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

Dossiê revela ação de militares para impedir Nobel a dom Helder Câmara

sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

Os tempos e os ventos



Selvino Heck
Adital
"Cumprimos com o nosso dever. Não fizemos uma revolução. Apenas assumimos uma atitude de inabalável resistência. Decidimos não abrir mão da nossa autonomia e procuramos lá, não apenas resguardar as liberdades públicas e individuais, garantias, mas não permitir que atentassem contra elas, como também resolvemos nos opor ativamente contra as que querem atentar contra a ordem jurídica, contra as liberdades, contra a ordem institucional em nosso país.” As palavras são do então governador do Rio Grande do Sul, Leonel Brizola, em 1961.

1961 Esta Noite

"Como fotógrafo do gabinete de imprensa do governo, documentei o esquema de guerra montado por Brizola. Eu tinha só 24 anos, duas Rolleiflex, filmes 6x6, um flash eletrônico e um topete de Elvis Presley. Guardo ainda bem nítidos na memória os primeiros enquadramentos que fui enxergando através da câmera no telhado do Palácio Piratini. Os ninhos de metralhadoras eram impressionantes. Muito fotogênicos, as armas com enormes pentes de balas, mas de eficiência duvidosa na tarefa de nos proteger do bombardeio que o governador golpista Carlos Lacerda, do Estado da Guanabara, anunciava também através do rádio. Vivíamos dúvidas mortais: aquelas velhas armas checas, da década de 30, não emperrariam com o calor do fogo constante? As espoletas, armazenadas havia tantos anos, detonariam? Mas poucos sabiam da precariedade do nosso arsenal. A tática era tirar o máximo proveito do fator psicológico da aparência do armamento – e aí entravam minhas fotografias", escreve Lemyr Martins, fotógrafo e jornalista, em artigo publicado por O Estado de S. Paulo, 13-12-2015.

Irresponsabilidade das empresas e omissão do Estado já anunciavam a tragédia em Mariana. Entrevista especial com Ana Flávia Santos

 “Um ponto de partida para compreender o rompimento da barragem de Fundão é frisar que não foi um desastre natural”, aponta a pesquisadora.
Foto: Colada Web
Uma série de negligências, burocracias e desrespeito aos direitos humanos e ao meio ambiente engrossam a lista de problemas gerados em nome do lucro. No Brasil essa é a lógica que rege a implementação de grandes empreendimentos que provocam vultosos impactos nos espaços onde são construídos. Vide o caso da estrutura da empresa Samarco, instalada em Mariana – MG para a exploração de minérios na região.
De acordo com a pesquisadora e professora Ana Flávia Santos, os movimentos do mercado, que funcionam a partir de ciclos de alta e baixa de preços de commodities, acabam prevalecendo sobre a segurança das pessoas e da natureza. “Muitas vezes há um aumento do ritmo de extração para manter a lucratividade dos empreendimentos, que se expandiram no momento de alta e que na baixa dos preços não se sustentam, não têm viabilidade econômica, mas há uma pressão enorme para que se mantenha a lucratividade. Com isso, se aumenta o ritmo de extração de minério”, explica em entrevista por telefone à IHU On-Line.

quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

O acordo climático de Paris e a lógica dos tijolos

O que resultou de Paris é claramente insuficiente para resolver o problema. Mas pelo menos temos mais pedreiros.
Quem acompanha as cimeiras anuais da ONU sobre alterações climáticas lembrará bem da que ocorreu em Haia, em 2000. Era um encontro fundamental para regulamentar e pôr em prática o Protocolo de Quioto, aprovado três anos antes. Até ao seu último dia, não havia ainda acordo. Mas o centro de exposições onde se realizava tinha de ser libertado para outro evento qualquer. Não havia tempo para um prolongamento e a COP6 – como era chamada – foi suspensa, já os funcionários começavam a desmontar painéis, stands e o centro de imprensa.

"A Cúria pode até ter 15 doenças, mas o papa também não está nada bem"

Aproxima-se o dia em que o Papa Franciscovai entregar os seus votos natalícios aos dirigentes da Cúria Romana, com muito discurso.
A nota é de Sandro Magister, publicada no seu blog Seu Settimo Cielo, 11-12-2015. A tradução é de Moisés Sbardelotto.
E muitos se perguntam o que ele vai dizer desta vez, depois do golpe do ano passado, quando derramou sobre os curiais a lista das15 vergonhosas "doenças" pelas quais ele os julgava afetados.
Desde então, o Vaticano, o murmúrio das críticas contra Jorge Mario Bergoglio foi crescendo, mas sempre protegida pelo anonimato, sendo conhecida a reatividade do papa contra qualquer um que o critique ou o irrite.

quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

Relatório sobre desastre em Mariana aponta: apesar do desastre, poucas mudanças à vista. Entrevista Especial com Bruno Milanez

“No contexto brasileiro estamos falando no que deverá ser o pior desastre socioambiental (em termos de extensão territorial) do país. As perdas para o país ainda precisam ser estimadas e, com muita dificuldade, se conseguirá efetivamente mensurar a gravidade do que ocorreu”, afirma o pesquisador.
Foto: Youtube.com
Antes fosse mais leve a carga: avaliação dos aspectos econômicos, políticos e sociais do desastre da Samarco/Vale/BHP em Mariana (MG)”, esse é o título do relatório lançado durante a Plenária do Comitê em Defesa dos Territórios Frente à Mineração - CNDTM, em Mariana - MG, entre os dias 13 e 15 de dezembro.
O documento apresenta uma sistematização dos dados sobre os diversos aspectos envolvidos norompimento da barragem do Fundão. O relatório, que inicialmente era um projeto menor, foi tomando dimensões maiores conforme as pesquisas sobre o desastre se aprofundavam e revelavam a complexidade e extensão do problema.

Jubileu extraordinário da Misericórdia: novos óculos para o coração

Marcelo Barros
Adital
Na terça feira passada, 08 de dezembro, o papa Francisco abriu na Catedral de São Pedro, em Roma, a "porta santa”. Inaugurou, assim, o "Jubileu extraordinário da Misericórdia” que lembra os 50 anos do encerramento do Concílio Vaticano II e quer ajudar toda a Igreja a ver e a viver a realidade do mundo atual a partir de óculos novos que o papa insiste ser um olhar misericordioso.