sábado, 30 de janeiro de 2016

Ponto de Vista: Brasília? Itaipu? Não. SUS é a maior obra da história do Brasil

"SUS é um avanço gigantesco, mas é impossível ignorar os casos de corrupção, o descaso com hospitais e postos de saúde, além da demora de meses para agendar consultas em muitos Estados e municípios", escreve Leandro Beguoci, em artigo publicado por BBC Brasil, 28-01-2016.
Eis o artigo.

Quem faz a nossa cabeça?



Frei Betto
Adital
A Conferência do Clima, realizada em Paris em fins de 2015 - tumultuada pelos atentados terroristas das semanas anteriores -, não abordou suficientemente muitos temas.

“Os últimos três governos ficarão para a história como uma miragem fugaz”. Entrevista especial com Fernando Rugitsky

“O grande desafio é político: construir um bloco político hegemônico disposto a viabilizar um processo de crescimento com redução das desigualdades (não apenas econômicas) e aprofundamento da democracia”, afirma o economista.
Foto: www.empreendedoresweb.com.br
O cenário econômico brasileiro é desolador e diante dessa conjuntura a tendência é que não haja uma recuperação tão cedo. Essa é a avaliação do economista Fernando Rugitsky, que na entrevista a seguir, concedida por e-mail à IHU On-Line, analisa alguns dos principais elementos geradores desse quadro. Para o pesquisador, a situação do mercado de trabalho no país serve como termômetro para dimensionar a gravidade do estágio atual da crise. “Ataxa de desemprego nas seis principais regiões metropolitanas caiu continuamente entre 2004 e 2014, de pouco mais de 12 por cento para em torno de 5 por cento. A partir de janeiro de 2015, no entanto, esse movimento é revertido e, se continuarmos na tendência atual, ultrapassaremos a média de 2004 já no próximo mês de setembro”, avalia.

sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

Novo Centro Bíblico latino-americano atua por uma Igreja em saída

Adital
A formação, a reflexão, a pesquisa e o compromisso evangelizador "rumo a uma Igreja em saída” configuram a identidade do Centro Bíblico Teológico Pastoral para a América Latina e Caribe (Cebitepal) do Conselho Episcopal Latino-Americano [Celam].

As origens latino-americanas da teologia do Papa Francisco

IHU - Unisinos
Adital
Pesquisas feitas logo após a visita histórica do Papa Francisco aos Estados Unidos mostraram que, embora no geral os americanos ficaram com uma impressão mais positiva do papa, a sua popularidade entre os católicos, conquanto ainda bem alta, decresceu levemente. Segundo o Centro de Pesquisas Pew (Pew Research Center), 81% dos católicos viam o papa de modo favorável em outubro, abaixo dos 86% em junho, diminuição liderada principalmente pelos que frequentam a missa regularmente.

América Latina e seus dilemas



Elaine Tavares
Adital
Já vai longe o tempo em que as notícias chegadas dos países irmãos da América Latina enchiam a vida de esperanças. Cooperação, soberania, equidade, mudanças, os ventos cambiantes soprando desde a Venezuela e se espalhando pelo continente. Nada muito revolucionário, mas pequenas e significativas transformações que começavam a cimentar um caminho diferente para uma população sempre subjugada dentro de um capitalismo dependente, no qual só sobrevivem os que mais roubam e exploram.

quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

A igualdade no casamento e a Igreja diante dos velhos e novos direitos. Artigo de Massimo Faggioli

A cultura do "Family Day" é uma cultura da família que claramente custa para se modernizar e que deverá fazer isso, assim como teve que fazer a partir do Sílabo de Pio IX. Mas achatá-la exclusivamente sobre uma ideologia de negação dos direitos alheios significa não compreender o profundo espaço político e cultural sobre o qual se move a contraposição entre "gay marriage" e "Family Day".

O pecado do excesso: desinformação e mau uso reduzem a eficácia dos antibióticos. Entrevista especial com Luis Caetano Antunes

“O acesso a informações precisas poderia reduzir a prescrição inadequada de antibioóticos pela comunidade médica. Campanhas publicitárias na mídia, por sua vez, poderiam ajudar a conscientizar a população sobre a importância do uso correto destas drogas e dos malefícios de seu uso abusivo”, explica o pesquisador.
Foto: waldircardoso.wordpress.com
antibiótico é uma das descobertas querevolucionaram a medicina possibilitando sanar diversas doenças, que hoje são consideradas simples e de fácil tratamento, mas que antes do surgimento dessa classe de medicamentos não tinham cura. Entretanto, cientistas alertam que podemos estar a caminho da “era pós-antibiótico”, em que essas drogas deixarão de ter efeito em função do aparecimento das chamadassuperbactérias. Ironicamente, esses microrganismos têm se originado a partir do uso indiscriminado e incorreto de antibióticos.

O último dia de Romero

Sob o signo do ecumenismo: As últimas horas do Beato salvadorenho. O relato do anglicano Wipfler na reconstrução do blog “Super  Martyrio”
FOTO: La Stampa
ALVER METALI Buenos Aires 20/01/2016
Tradução: Orlando F. R. Almeida 
O Rev. William Wipfler mostra a imagem de seu último encontro com Monsenhor Romero 23 de março de 1980, na véspera do assassinato
O assassinato do padre Rutilio Grande marca também profundamente a “conversão” da visão ecumênica de Monsenhor Romero que até então se mantivera  dentro das rígidas fórmulas doutrinárias do tradicionalismo do seu tempo quanto às relações com o mundo protestante, que em El Salvador, é oportuno esclarecer, tinha o rosto agressivo das seitas pentecostais.

terça-feira, 26 de janeiro de 2016

Por que as religiões afro-brasileiras são principal alvo de intolerância no Brasil?

Dados compilados pela Comissão de Combate à Intolerância Religiosa do Rio de Janeiro (CCIR) mostram que mais de 70% de 1.014 casos de ofensas, abusos e atos violentos registrados no Estado entre 2012 e 2015 são contra praticantes de religiões de matrizes africanas.
A reportagem é de Jefferson Puff, publicada por BBC Brasil, 21-01-2016.
Divulgado nesta quinta-feira (21), Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa, o documento reacende o debate: por que os adeptos da umbanda e do candomblé, e suas variações, ainda são os mais atacados por conta de sua religião?

Economia brasileira: o futuro depende da reindustrialização. Entrevista especial com José Luis Oreiro

"Teremos de encarar de modo muito sério a reindustrialização da economia brasileira. Esse será o ponto central, porque não teremos crescimento acelerado com base numa economia exportadora de commodities e intensiva em serviços de baixa intensidade e baixa intensidade tecnológica”, adverte o economista.
Foto: http://www.bolsavalores.net/
Depois de o dólar ter registrado a maior cotação da história no Brasil, para acelerar a economia, o governo deveria “dar sinais de que o câmbio competitivo veio para ficar”, diz José Luis Oreiro àIHU On-Line, na entrevista a seguir, concedida por telefone.
“Esse seria o momento de instituir um piso para a taxa de câmbio, ou seja, uma taxa abaixo da qual o câmbio não poderia cair. Isso deveria ser feito pelo Banco Central a fim de sinalizar de maneira inequívoca para os empresários que a taxa de câmbio competitiva veio para ficar”, frisa.

“O Papa Francisco fala muito pouco do Vaticano II, mas o aplica constantemente.”

segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

Texto completo. Francisco recorda que “evangelizar os pobres: esta é a missão de Jesus; esta é também a missão da Igreja, e de todo batizado na Igreja”
Às 12 horas de hoje, domingo, 24 de janeiro, o Santo Padre Francisco se aproximou da janela de seu escritório no Palácio Apostólico Vaticano para rezar o Angelus com os fiéis e peregrinos reunidos na Praça de São Pedro. Eis as palavras pronunciadas pelo Papa antes da oração mariana:

HIPNOSE E O FUTURO

É comprovado, cientificamente, que o inconsciente sabe o futuro e que, através da hipnose, é possível acessá-lo, se este permitir liberar os seus dados. É saudável e até curativo, em hipnose, lançar a pessoa a um futuro positivo. Ao induzir alguém à hipnose progressiva, ao futuro, sugiro que, se desejar conquistá-lo, invista na possibilidade que surge.

Partilho, a seguir, uma vivência de hipnose progressiva com um jovem que depois me deu retorno.

Ensinei filosofia na Universidade Estadual do Ceará – UECE e os alunos sabendo que eu era também psicanalista e hipnólogo pediam-me para hipnotizá-los. Prometia-lhes para o último dia de aula, tendo em vista não ser um tema da disciplina. Neste dia, ano 2011, um aluno pediu-me: “Professor vou fazer o concurso para o Ronda, (incorporação da Polícia Militar do Ceará), hipnotize-me para ver se vou passar, eu preciso trabalhar!”

CITAÇÕES DE DOM HELDER CAMARA SOBRE A MISERICÓRDIA (i)

Pertence à alma da Igreja e contará com a misericórdia divina todo aquele que é sincero, pensa na verdade, age de acordo com a própria consciência e, dentro dos limites da fraqueza humana, está disposto a fazer tudo o que Deus determina e quer. (Circular nº 18 – Anexo; 19/20.10.1963 – Volume 1, Tomo 1, p. 212).

O perigo não é amar demais: é amar de menos, com limitações, com estreiteza, com egoísmo. Quando, de fato, o amor se alarga e atinge as dimensões divinas, então, é amar sem medo, cumprindo o mandamento de Deus.

sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

A vez da coragem

“A tarefa que o destino atribui à presidenta é grandiosa e empolgante e lhe garantiria um lugar decisivo na nossa história. Os cidadãos de boa vontade, abertos a um diálogo centrado nos interesses nacionais, hão de esperar que Dilma encontre a força interior para agir”, afirmam Mino Carta, jornalista, e Luiz Gonzaga Belluzzo, economista, em editorial de CartaCapital, 22-01-2016.

Cinco lugares onde a força política do Papa Francisco pode fazer a diferença


3333O papado de Francisco já se estende por quase quatro anos, e cada um dos três primeiros anos trouxe um avanço diplomático específico: uma ajuda em evitar uma ofensiva ocidental anti-Assad na Síria, em 2013; a restauração das relações entre EUA e Cuba, em 2014; e um apoio moral ao acordo climático de 2015, em Paris. Na segunda-feira (11-01-2016), Francisco proferiu o seu discurso anual ao corpo diplomático acreditado no Vaticano, e muitos dos aí presentes provavelmente se viram perguntando na Sala Regia: Qual de nós vai ser o próximo?

O direito de ir e vir cerceado: migração para as cidades expõe indígenas ao preconceito e à violência secular. Entrevista especial com Azelene Kaingáng

“Uma criança indígena teve que ser assassinada de forma brutal, como foi o Vitor, para que pudéssemos fazer com que as autoridades parassem e conversassem conosco sobre como esses indígenas são recebidos quando chegam ao espaço urbano”, alerta a socióloga indígena.
Foto: www.revistasina.com.br
No penúltimo dia de 2015 o menino Kaingáng Vitor Pinto foi assassinado, aos dois anos de idade, enquanto era amamentado pela mãe. O crime que aconteceu no dia 30 de dezembro na Rodoviária de ImbitubaSanta Catarina, marcou o encerramento do ano pela violência contra a vida de uma criança indefesa, mas também trouxe à tona as violências cometidas contra os povos indígenas no Brasil desde 1500, nos levando de volta ao século XV.
Também não mudaram o choque cultural e o preconceito quanto aos índios, os quais agora são vistos como intrusos em um país que sempre foi deles. Hoje vivem em situação de extrema pobreza e o meio que encontram para sobreviver é vender artesanato, fruto de sua cultura, nas cidades.

quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

Audiência: cristãos podem testemunhar juntos a misericórdia de Deus

Cidade do Vaticano (RV) – A Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos foi o tema da Audiência Geral desta quarta-feira (20/01).

Estes são aqueles que querem 'caçar' a Francisco... sistematicamente e sem piedade

“Eles estão à espreita. Como os caçadores desprezados. Levam três anos sem cobrar a peça e já atiram sem parar, em tudo o que se move. Incluindo o Papa. Especialmente o Papa Francisco. Os 'caçadores eclesiásticos' são os talibãs de sempre (bispos, sacerdotes e leigos), os que, durante anos, espalharam cartilhas de catolicismo para eleitos, de doutrina íntegra e princípios não-negociáveis”, escreve José Manuel Vidal, em artigo publicado por Religión Digital, 17-01-2016. A tradução é de Evlyn Louise Zilch.

Presbíteros casados disponíveis para servir comunidades

222Congresso internacional  –  Os presbíteros casados estão disponíveis para ser úteis em comunidades onde se partilhem “cargos, responsabilidades, serviços e ministérios às pessoas que considerem mais preparadas e adequadas para cada tarefa, sem distinção de sexo nem de estado”, que possam tornar-se “comunidades abertas, inclusivas, a partir da pluralidade e do mútuo respeito”.
A intenção consta do comunicado final do congresso do Movimento Internacional de Presbíteros Casados que esteve reunido em congresso em Guadarrama (Madrid, Espanha) para debater o tema Presbíteros em Comunidades Adultas.

quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

Papa Francisco: um perigo não tão claro, mas bem presente

“A ameaça mais perniciosa que Francisco apresenta a tantas pessoas em nossas sociedades e em nossa Igreja relaciona-se com a sua obsessão com a misericórdia. Sim, a misericórdia. A misericórdia é uma arma muito mais perigosa do que as bombas dos terroristas”, escreve Robert Mickens, editor-chefe da revista Global Pulse. Desde 1986, vive em Roma, onde estudou Teologia na Pontifícia Universidade Gregoriana antes de trabalhar por 11 anos na Rádio Vaticano e, então, mais uma década como correspondente do jornal The Tablet, de Londres, em artigo publicado por National Catholic Report, 18-01-2016. A tradução é de Isaque Gomes Correa.
Eis o artigo.

Por uma teologia à altura dos tempos. Uma declaração de teólogos e teólogas alemães

Entre os dias 6 e 8 de dezembro de 2015, foi realizado em Munique (Alemanha) o congresso internacional “Inaugurar o Concílio. Teologia e Igreja sob o sinal exigente do Concílio Vaticano II”. Os trabalhos- que reuniram cerca de 200 teólogos e teólogas – foram abertos por duas intervenções de orientação fundamental (Ch. M. Theobald e M. Faggioli), articulando-se, depois, em uma série de grupos de trabalho sobre os documentos e pontos-chave do Concílio. 
Ao debate da assembleia, seguiu-se a redação de uma Declaração Comum final do congresso, que foi traduzida e publicada no último número de 2015 da revista Il Regno – Documenti. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

Pandemia de zika vírus. Perdemos a guerra para o Aedes aegypti? Entrevista especial com Carlos Henrique Nery Costa

“Estamos vivendo uma pandemia de zika sem saber, exatamente, como pará-la”, afirma o diretor do Instituto de Doenças Tropicais Natan Portella.
Foto: spdbcfmusp.wordpress.com
“Temos de conceber que houve um fracasso no combate aoAedes aegypti, porque ele está cada vez mais ao Sul e ao Norte, e vem se adaptando mais rapidamente do que estamos conseguindo contra-atacar”, diz Carlos Henrique Nery Costa àIHU On-Line.
Na entrevista a seguir, o médico ressalta que dada a relação entre o zika vírus e os casos de microcefalia, entre as próximas etapas a serem realizadas, está o desenvolvimento de "estudos para saber em que período da gestação uma inflação pode levar à microcefalia do feto, e qual a diversidade clínica desses casos, porque agora estamos vendo apenas casos extremos de encolhimento do cérebro, mas ainda não sabemos casos de abortos de fetos aconteceram por causa da doença".

terça-feira, 19 de janeiro de 2016

O futuro da Igreja (2)


Anselmo Borges – DN 16JAN2014
 “Por imperativo da minha alma e consciência, e antes do silêncio que em breve a morte me imporá, quero lançar um grito de alarme: na minha opinião, a salvação e o futuro do cristianismo, e nomeadamente do catolicismo, passam por esta completa reabilitação da mulher. E não hesito em colocar a questão, que não é, na minha opinião, de modo nenhum sacrílega: porque é que uma mulher não poderia um dia ser eleita para a sede de Pedro?”

Que Francisco queira os padres casados “é mais do que uma intuição”

Norberto Saracco é um pastor pentecostal argentino, fundador de uma faculdade internacional de estudos teológicos ativa em numerosas nações e com professores pertencentes a diversas confissões cristãs. É amigo de longa data deJorge Mario Bergoglio e dois meses após sua eleição a Papa teve com ele um longo colóquio confidencial no seu apartamento em Santa Marta, junto a uma meia dúzia de outros amigos argentinos. No verão de 2015 Saracco referiu daquele colóquio a Roberto Draper, o autor da história de cobertura dedicada ao Papa Francisco, do número de agosto da revista National Geographic.

Papa: não há Santo sem pecado, nem pecador sem futuro

Cidade do Vaticano (RV) – Deus não fica nas aparências, mas vê o coração. Foi o que afirmou Francisco na missa matutina na Casa Santa Marta nesta terça-feira (19/01), centralizada na primeira Leitura, que narra a eleição do jovem Davi como rei de Israel. O Papa destacou que também na vida dos Santos há tentações e pecados, como demonstra a própria vida de Davi, mas jamais se pode usar Deus para vencer uma causa própria.

segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

Papa na Sinagoga: todos pertencemos a uma única família, a família de Deus

Cidade do Vaticano (RV) - Francisco tornou-se, na tarde deste domingo (17/01), o terceiro Pontífice a visitar a Sinagoga de Roma. Durante a visita ao Templo Maior, o Papa recordou a expressão cunhada por São João Paulo II que, em 1986, disse que os judeus são os "irmãos mais velhos" dos cristãos. Francisco incentivou todos os empenhados na construção do diálogo judaico-cristão a seguirem perseverantes e recordou os judeus romanos perseguidos deportados durante a invasão nazista. 

Federação Latino- Americana para a renovação dos ministérios – BALANÇO DO ANO 20015

 Mario Mullo – Quito, 01 de janeiro de 2016
A Diretoria da Federação Americana para a Renovação dos Ministérios,organização de padres casados ​​na América Latina, apresenta este breve panorama dos principais fatos de acontecidos em 2015.
 Em janeiro de 2015, participamos no Congresso do Movimento de Padres Casados e suas Famílias (MFPC), na cidade de Florianópolis Brasil, onde a nova Diretoria foi eleita para o período 2015-2016-2017. A importância deste evento foi  termos conseguido fortalecer os laços com o MFPC do Brasil e, assim, fortalecer a Federação.

REUNIÃO PREPARATÓRIA ENCONTRO MFPC 2017

Brasília, 16-01-2016
79A coordenação do XXI Encontro Nacional do Movimento das Famílias dos Padres Casados – MFPC, juntamente com a Diretoria Nacional da Associação Rumos, realizou em Brasília uma reunião preparatória do citado encontro que acontecerá no período de 18 a 22 de janeiro de 2017, na Capital Federal.
Após boas e longas reflexões sobre as sugestões enviadas pelos grupos regionais e por correspondência,  decidiu-se que o tema geral do Encontro Nacional será “MFPC – RENOVAÇÃO E ESPERANÇA”, com os  subtemas: 1. “O profetismo do Papa Francisco”, 2. Juventude e Esperança.

Padres casados. O eixo Alemanha-Brasil

Nos relatos de um teólogo alemão e de um bispo brasileiro, o plano de Francisco deve autorizar exceções locais para a norma do celibato clerical, começando pela Amazônia.
A reportagem é de Sandro Magister, publicada por chiesa.it, 12-01-2016. A tradução é de Isaque Gomes Correa.
Uma troca de correspondências, uma conversa e uma inovação já tornada lei confirmam as intenções do Papa Francisco em estender a presença do clero casado na Igreja Católica, conforme já antecipado no artigo intitulado “The Next Synod Is Already in the Works. On Married Priests”.
A troca de correspondências se deu a partir da iniciativa de um teólogo do alto escalão alemão, Wunibald Müller, 65, quem, em dezembro de 2013, escreveu uma carta aberta ao papa publicada com destaque no sítio eletrônico oficial daConferência Episcopal Alemã sob o título “Pope Francis, open the door”, literalmente: “Papa Francisco, abra a porta”, pedindo-lhe que destituísse a estreiteza do celibato aos sacerdotes.

sábado, 16 de janeiro de 2016

Cardeal Tempesta: Tempos de mártires

Rio de Janeiro (RV) - A história do Cristianismo é mesclada com a história de incontáveis mártires que, desde os primeiros séculos até os dias de hoje, testemunham, com o derramamento de sangue, a fé incondicional no Salvador da humanidade. Antes de tudo, podemos nos perguntar: que é um mártir? Mártir evoca aquele que morre em meio a suplícios devido à perseguição por causa da fé. Mas é necessário recordar que essa palavra grega significa “testemunha”. O mártir dá testemunho de sua fé em Jesus, que é único Senhor, excluindo qualquer outro, até mesmo um imperador. O cristão não busca o martírio, muito embora isso possa ocorrer. Ele defende sua vida e pode fugir à perseguição, mas, quando esta chega, dá testemunho até o fim, imitando Jesus até em sua paixão e em sua morte. Assim, o mártir se identifica com Jesus.

Perseguição anticristã em aumento no mundo: 7100 vítimas em 2015

Roma (RV) – A organização “Portas Abertas” divulgou nesta quarta-feira, 13, a “World Watch List 2016”, a nova lista dos primeiros 50 países onde os cristãos são mais perseguidos no mundo. Um dos primeiros dados que emerge do relatório é que a perseguição anticristã no mundo teve um aumento de 2,6 pontos. Em 2015 foram mortos 7.100 cristãos devido à sua fé (4.344 em 2014) e atacadas mais de 2.400 igrejas (1.062 em 2014).

Benigni, diretor de cinema, apresenta o livro do Papa: “Ele é um verdadeiro revolucionário”.

Estão presentes “um cardeal vêneto, um prisioneiro chinês e um cômico toscano”, que seria Roberto Benigni. Eles apresentam juntos o primeiro livro do Papa FranciscoO nome de Deus é misericórdia, um colóquio entre o Pontífice e o jornalista Andrea Tornielli, editado, na versão italiana, por Piemme e publicado desde ontem em 86 países. O cardeal é o secretário de Estado vaticano Pietro Parolin, o cardeal é Zhang Agostino Jianquing, que tem 30 anos, muitos dos quais transcorridos nas prisões italianas. Mas, é precisamente o cômico que parece evocar uma anedota no exórdio de sua intervenção, para depois acabar citando, em linha com o seu estilo, santo Agostinho, Bento XVI e o teólogo luterano Dietrich Bonhoeffer. E, quando deve descrever Bergoglio, diz: “É um revolucionário, como o definiuEugenio Scalfari que está presente na sala e que é um revolucionário também ele”.

O Futuro da Igreja – 1

 Anselmo Borges – DN 09.01.2016

sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

Papa na missa: "A fé não se compra, é dom que muda nossa vida"

Cidade do Vaticano (RV) - “Como é a minha fé em Jesus Cristo?”. É a pergunta formulada pelo Papa na homilia da missa matutina na Casa Santa Marta, na manhã de sexta-feira (15/01). O Pontífice se baseou no Evangelho para reafirmar que para compreender realmente Jesus, não devemos ter o “coração fechado”, mas segui-lo no caminho do perdão e da humilhação. “A fé – advertiu – não pode ser comprada por ninguém; é um dom que muda nossa vida”.

"O Papa Francisco fala muito pouco do Vaticano II, mas o aplica constantemente." Entrevista com Massimo Faggioli

Massimo Faggioli nos acolhe com grande disponibilidade e cordialidade alguns minutos depois de participar de uma edição ao vivo do programa Il Diario di Papa Francesco, do canal italiano TV2000, e o faz sem pôr limites de tempo nem de assuntos. Desde logo, as suas respostas são concisas, aprofundadas e articuladas, revelando a sua sólida formação como historiador, não só da Igreja.
A reportagem é de Francesco Gagliano e de Luis Badilla, publicada no sítio Il Sismografo, 14-01-2016. A tradução é de Moisés Sbardelotto.
Faggioli é atualmente professor associado de Teologia e diretor do Institute for Catholicism and Citizenship daUniversity of St. Thomas, em St. Paul (Minnesota), e professor do Departamento de Teologia e Estudos Religiososda Villanova University (Filadélfia). Publicou inúmeros livros e ensaios, além de ter estudado e ensinado em diversos centros acadêmicos importantes dos Estados UnidosCanadá e Itália.

“Assim vivemos a nossa segunda vida de ex-padres”

frame da "Il prete sposato"Na Itália, os sacerdotes que deixaram a batina são entre 5 e 7 mil.
A maioria dos italianos é a favor do casamento dos padres. é o que revela uma pesquisa do Instituto Piepoli para a “La Stampa”. Um em cada três é contra. Viagem entre os “demissionários” que retornam à sociedade, frequentemente com uma companheira.
Mauro Pianta – Vatican Insider

quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

“A Cúria ajuda o papa, não está no centro da Igreja”, afirma o cardeal Müller



Em tese de doutorado, pesquisadora denuncia a farsa da crise da Previdência Social no Brasil forjada pelo governo com apoio da imprensa

http://adunicentro.org.br/novo/wp-content/uploads/previdencia-social.jpg

Megaeventos e a mercantilização das metrópoles brasileiras. Entrevista especial com Orlando Alves dos Santos Junio


"Esses megaeventos estão associados a projetos de reestruturação das cidades nas quais eles são realizados, e os gastos efetivamente empregados não correspondem às necessidades requeridas estritamente pelos jogos em questão”, afirma o sociólogo.
Foto: Comitê Popular Rio Copa e Olimpíadas / EBC
“A questão da metrópole no Brasil foi banalizada pelo fato de os governos estaduais poderem criar metrópoles sob quaisquer critérios”, diz Orlando Alves dos Santos Junior à IHU On-Line ao comentar a situação dos aglomerados metropolitanos no país. Para resolver essa questão, “é preciso, em primeiro lugar, definir o que se entende por aglomerado metropolitano”, dado que a metrópole “configura uma centralidade e tem uma dinâmica econômica, social e política diferenciadas”.